Madre Assunta escreveu às Noviças

“Grande foi à alegria que me causou as boas e santas disposições que demonstraram na carta que me enviaram. Que Jesus aumente cada dia os bons e santos desejos de suas almas ardorosas na prática das mais belas virtudes. Possam revestir-se das santas vestes de Cristo! Que ele as estreite sempre mais sobre o seu terno coração e as torne suas fiéis noivas para serem, um dia, suas esposas fiéis”.

O tempo passou veloz, mas as palavras edificantes de nossa querida Madre Assunta permaneceram vivas na nossa memória scalabriniana. Hoje, podemos apreciar seu jeito de expressar os valores marcantes de nossa vida consagrada. Noventa e um anos de história, de proximidade e de unidade entre o coraçao da Madre e das jovens noviças Amélia e Rosa, que partilharam o próprio processo formativo através de uma sintética carta. Foi um momento profundo, de reflexão, oração e discernimento tanto das noviças como da Madre que atentamente as ouvia. O acontecimento foi tão profundo que até hoje resgatamos com exultação esses bons desejos e valiosas palavras.

Na sua carta resposta Madre Assunta manifesta uma fraterna e alegre saudação. Assunta expressa um profundo contentamento, próprio de quem tem certeza de ser amada por um grande amor e que trás consigo uma multiplicidade de experiências comunitárias e pessoais. Sua unidade para com as expectativas das jovens formandas mostra que ela própria cultiva em si tal esperança.

A alegria de Assunta é um dom, é efeito da ação do Espírito (cf. Gal 5,22) sobre sua vida espiritual e caritativa. Uma alegria que emerge desde seu interior como uma intensa gratidão filial que leva a pessoa atuar com humildade nas tribulações. A alegria de Assunta é a de uma Madre que expõe a grandeza de seu coração e sinaliza a acolhida e o cultivo da graça divina como elemento essencial na vida de quem deseja se consagrar a Deus.

Nesta carta-resposta, Assunta destaca ainda os “bons e santos” desejos e disposições, através dos quais se percebe o nível de satisfação, de aspiração e de atração dessas jovens para com as virtudes da generosidade, bondade, autenticidade, compaixão coragem, empatia e fidelidade. Assunta não só entende o sentido de busca dessas jovens noviças, como também se deixa conduzir por uma antropologia cristã de acolhida da reta intenção, da pureza das intenções dessas jovens em querer agir com o único intuito de agradar a Deus. Assunta só entende as boas aspirações dessas jovens porque já as cultiva em si, é um eco de si mesmo, uma escuta empática.

Madre Assunta se manifesta com agrado e aponta a inspiração divina como energia vital e ponto de partida necessário em uma entrega e fidelidade esponsal. Por fim serve-se da expressão paulina “revestir-se de Cristo”(Gl 2.20) para focalizar os valores decisivos constitutivo da identidade missionária scalabriniana. Tomar novamente a veste de Cristo causa efeitos específicos (cf. Col 3,10-14): “Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim”. Esta decisão precisa estar conforme a vontade de Deus, é acolhida do novo projeto de vida a partir de Cristo, é transformar a própria forma de pensar e agir.

Oração:

Bendito seja o Senhor Deus pelo Dom da vida e por valer-se das fragilidades humanas para mostrar que “ser humano” é seu um jeito de ser divino. Senhor, sua presença encarnada na história humana fez de Assunta uma Madre bondosa, ativa, participativa e Bem aventurada. Obrigada Senhor pelo chamado e pelo Sim de tantas Irmãs comprometidas com a consagração religiosa scalabriniana e com o anúncio dos valores do Reino. Obrigada Senhor por infundir no coraçao da Igreja e de cada jovem vocacionada o vigor do teu Espírito. Senhor, seu dinamismo gera alegria, acolhida e comunhão na diversidade. Seu amor anima nossa ação missionária com os migrantes e refugiados, nos impulsiona a caminhar sempre em frente e certas da sua companhia. Fica conosco Senhor!

Irmã Elza Ferreira de Souza
Mestra das Noviças – Potim,SP

Compartilhar:

As Scalabrinianas desenvolvem sua missão através de atividades nos âmbitos da catequese, educação cristã, pastoral da saúde, pastoral social e pastoral das migrações.
Atualmente também marcam presença em organismos eclesiais e internacionais, em organizações civis e não-governamentais

A CONGREGAÇÃO